Artigos Blog



“Dicas de como orientar crianças em ambientes online”

No último dia 26 de abril, o órgão americano CISA (Cybersecurity and Infrastructure Security Agency), divulgou uma nota contendo artigos de referência para pais orientarem crianças em ambientes online.

Quando uma criança está usando o computador, as práticas de segurança normais podem não ser suficientes. Com o avanço da tecnologia, as crianças estão sendo expostas à novos ambientes cibernéticos, e por isso, os pais devem estar sempre atento às atividades que elas praticam nesse novo mundo. Embora a Internet ofereça uma maneira positiva de as crianças explorarem e aprenderem, as preocupações com a privacidade estão à espreita.

Jogos online e sites para crianças estão em toda parte nos dias de hoje. Entretanto, ao lidar com esse tipo de situação deve-se levar em consideração que as crianças apresentam desafios adicionais por causa de suas características naturais: inocência, curiosidade, desejo de independência e medo de punição.

Para ajudar a proteger a privacidade das crianças, a FTC (Federal Trade Commission – Protecting America´s Consumers, aplica a Lei de Proteção à Privacidade Online das Crianças (COPPA), que exige que sites e serviços on-line obtenham o consentimento dos pais antes de coletar informações pessoais de crianças menores de 13 anos.

Além disso, o CISA divulgou uma lista com dicas que podem auxiliar os pais nessa situações:

  1. Estar envolvido – Considere atividades com as quais vocês possam trabalhar juntos, seja jogando, pesquisando sobre um assunto sobre o qual você estava falando (por exemplo, férias em família, um hobby em particular, uma figura histórica), ou reunindo um boletim informativo sobre a família.
  2. Mantenha o seu computador em uma área aberta – Se o seu computador estiver em uma área de tráfego intenso, você poderá monitorar facilmente a atividade do computador. Essa acessibilidade não apenas impede a criança de fazer algo que ela sabe que não pode fazer, mas também lhe dá a oportunidade de intervir se você perceber um comportamento que pode ter consequências negativas.
  3. Definir regras e avisar sobre perigos – Verifique se o seu filho conhece os limites do que ele tem permissão para fazer no computador. Esses limites devem ser apropriados à idade, conhecimento e maturidade da criança, mas podem incluir regras sobre quanto tempo ela pode ficar no computador, que sites ela pode visitar, que programas de software ela pode usar e que tarefas. ou atividades que ela tem permissão para fazer.
  4. Monitore a atividade do computador – Esteja ciente do que seu filho está fazendo no computador, incluindo quais sites ele está visitando. Se ele estiver usando e-mail, mensagens instantâneas ou salas de bate-papo, tente ter uma noção de quem ele está correspondendo e se ele realmente os conhece.
  5. Mantenha as linhas de comunicação abertas – Deixe seu filho saber que pode se aproximar de você com dúvidas ou preocupações sobre comportamentos ou problemas que possa ter encontrado no computador.
  6. Considere particionar seu computador em contas separadas – A maioria dos sistemas operacionais oferece a opção de criar uma conta de usuário diferente para cada usuário. Se você tem medo de que seu filho acidentalmente acesse, modifique e / ou exclua seus arquivos, você pode fornecer a ele uma conta separada e diminuir a quantidade de acesso e o número de privilégios que ele possui.
  7. Considere implementar os controles dos pais – Você pode definir alguns controles dos pais em softwares, como navegadores e antivírus. Nesta opção as ferramentas possibilitam proteger seus filhos e entender o que está acontecendo em suas atividades.

Texto Traduzido e adaptado:

COPPA: A few tips to keep your child safe online





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros

Av. Dom João VI, 11, Edf. Seta Empresarial, 2º Andar, Brotas | Cep: 40.285-000 | Salvador - Bahia - Brasil
Tel.: 71 3018-7381 / 3018-7381 www.xlogic.com.br - sac@xlogic.com.br

XLOGIC. © 2019. Todos os direitos reservados.